Home » Se uma Manhã de Verão uma Criança: Carta ao meu filho sobre o amor pelos livros by Roberto Cotroneo
Se uma Manhã de Verão uma Criança: Carta ao meu filho sobre o amor pelos livros Roberto Cotroneo

Se uma Manhã de Verão uma Criança: Carta ao meu filho sobre o amor pelos livros

Roberto Cotroneo

Published
ISBN :
Paperback
147 pages
Enter the sum

 About the Book 

«Poder-se-á falar de romances a uma criança escrevendo um romance? É uma tarefa difícil, que pode cair facilmente na metaliteratura. A menos que o escritor seja um verdadeiro contador de histórias, como os que havia outrora e animavam os serões àMore«Poder-se-á falar de romances a uma criança escrevendo um romance? É uma tarefa difícil, que pode cair facilmente na metaliteratura. A menos que o escritor seja um verdadeiro contador de histórias, como os que havia outrora e animavam os serões à lareira com o talento de saber contar. E Roberto Cotroneo sabe contar. Conta o conto de um conto como o exige a antiga tradição oral, que se transforma aqui, na página escrita, em óptima literatura.» - Antonio TabucchiUm pai e um menino. O pai trabalha enfiado no meio dos livros. O menino chama-se Francisco e tem dois anos e meio. Uma manhã de verão o pai começa a escrever uma longa carta para lhe contar uma história: a dos livros de que mais gostou quando era adolescente. Fá-lo de um modo simples, com ligeireza mas sem renunciar a abordar temas interessantes e importantes, como a inquietação, a ternura, a paixão, o talento.Cada tema é um livro, cada livro é tratado com uma escrita que aflora a narrativa. O resultado é surpreendente: porque é uma claríssima lição de método crítico, mas também subterraneamente uma autobiografia. Através dA Ilha do Tesouro de Stevenson, de The Catcher in the Rye de Salinger, dos poemas fascinantes de Eliot, dO Náufrago de Thomas Bernhard, o autor, como por magia, faz falar os livros entre si. E aqueles personagens perseguem-se por entre as páginas do livro: John Silver, Holden, Prufrock, mas também - inesperadamente - Peter Pan e o Capitão Gancho. No final, como num livro de mistério, um ancião cego desvendará o enigma que é a literatura.Se uma Manhã de Verão uma Criança mostra-nos como entrar no mundo maravilhoso e fantástico das palavras, dos versos e das histórias.